‘Asseguro que estamos fazendo Justiça Social’, diz prefeito sobre IPTU

A polêmica sobre o reajuste do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) em Salvador permeou o discurso do prefeito ACM Neto, nesta segunda-feira (3), durante a abertura dos trabalhos da Câmara de Vereadores.

Na mensagem do Executivo ao Legislativo, o gestor defendeu a necessidade de revisão do tributo, visto que a última atualização foi realizada há 19 anos. “A Planta Genérica de Valores estava completamente desatualizada. Por isso houve uma defasagem extraordinária em alguns tributos municipais, principalmente no IPTU. Essa defasagem levou o Município a ter uma das piores arrecadações de IPTU dentre todas as capitais brasileiras, quadro muito agravado pelo alto índice de inadimplência verificado na cidade de Salvador”, pontuou.

De acordo com o democrata, a isenção da taxa atingiu metade dos imóveis da capital baiana. “Asseguro que o que estamos fazendo é Justiça Social. O critério que estabelecemos para a cobrança é simples e justo: paga mais quem pode mais; paga menos quem pode menos; quem não pode nada, não paga nada”, avaliou.

O prefeito reforçou ainda o encaminhamento à Casa de um projeto que pretende conceder a isenção da cobrança da taxa de lixo aos proprietários desobrigados de pagar o IPTU. “Estamos admitindo abrir mão de cerca de R$ 23 milhões em arrecadação para a cidade a fim de garantir que os mais pobres que não podem pagar tenham esse benefício”, declarou ACM Neto, ao pedir aprovação da proposta. O PT e a bancada de oposição na Câmara pedem revogação do IPTU e prometem acionar a Justiça contra a medida.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.