Cairu: DEM quer explicação sobre verba da Petrobras para igreja

O presidente do Democratas de Salvador, Heraldo Rocha, promete acionar o Ministério Público Federal (MPF) e o Tribunal de Contas da União (TCU) para que apurem a denúncia publicada pela Folha de S. Paulo na segunda-feira apontando tráfico de influência na escolha da igreja de Santo Antônio de Cairu, no município de Cairu, para receber da Petrobras um patrocínio no valor de R$ 7,6 milhões. Os repasses foram feitos  entre 2005 e 2009, quando a estatal era presidida pelo atual secretário do Planejamento do governo Wagner, José Sérgio Gabrielli (PT).

A verba deveria ser destinada à reforma da igreja, mas segundo auditoria da Controladoria Geral da União (CGU) foi identificado um dano ao erário no valor de R$ 4,2 milhões. O democratas promete cobrar providências e lamenta o uso político da estatal. “Com tristeza que transformaram um patrimônio da Humanidade, como o Mosteiro de Cairu, como peça das páginas policiais. Vamos apurar, fazendo uma representação no Ministério Público Federal e Tribunal de Contas da União”, afirmou.

Através do patrocínio cultural, a Petrobras encaminhou R$7,6 milhões para a ONG Grupo Ecológico Humanista Papamel, que subcontratou a recém-criada  Patrimoni para iniciar as obras de restauração. Segundo a auditoria da CGU, nem a Papamel e nem a Patrimoni tinham experiência em obras de restauração. A CGU contabilizou um prejuízo de R$ 1,7 milhão pelos serviços executados e R$ 2,5 milhões pelos saques dos recursos repassados pela Petrobras.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.