Campos diz que não vai ‘passar a mão na cabeça’ de Dilma

A poucos dias de trocar o governo de Pernambuco pelo palanque presidencial, Eduardo Campos aproveitou o final de semana para realizar um périplo por municípios do interior do seu Estado. Em Afogados de Ingazeira, a cerca de 385 km de Recife, ele falou a emissoras de rádio. Deu-se neste sábado (29). Campos espinafrou Dilma Rousseff. Elogiou Lula e FHC. E vacinou-se contra o boato de que poderia tramar contra o Bolsa Família se virasse presidente.

Indagado sobre as estocadas que vem desferindo em Dilma, Campos disse ter “respeito” por ela. Mas julga-se no “direito de discordar”. E não planeja maneirar: “Temos problemas. Por mais que a gente respeite ela, por mais que a gente goste de muita gente que está junto com ela, a gente não pode passar a mão na cabeça. A gente tem que tomar conta do Brasil, tomar conta das conquistas.”

Campos disse ter votado em Dilma para que ela melhorasse o país. Acha que ocorreu o contrário. “Ela teve toda liberdade, todo o apoio da imprensa, apoio da classe política, apoio do próprio presidente Lula. E a gente viu a economia desacelerar, a inflação de alimentos aumentar. Quem é assalariado sabe que, hoje, o dinheiro está dando para menos coisa do que dava ontem.”

Expressando-se na língua simples do sertanejo, Campos prosseguiu: “Os brasileiros se endividaram demais da conta. Hoje, o dinheiro mal dá para pagar a fieira de empréstimo, uma fieira de prestação, um bocado de coisa que tem que fechar as contas. E a gente viu: inflação pra cima, crescimento pra baixo, juros pra cima”.

Política Livre

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.