Hospital de Campanha da Arena Fonte Nova será reativado até sexta (26/02)

Não teve jeito, a Fonte Nova voltará a lutar a sua partida mais decisiva: contra o coronavírus. A Arena abrigou um hospital de campanha entre junho e outubro, quando foi desativado. A crescente dos casos forçou a sua reabertura, conforme anunciado pelo Governador do Estado, Rui Costa, em transmissão online na noite desta segunda (22/02).

“Esse hospital de campanha será de extrema importância para a população baiana, uma vez que, os hospitais já existentes estão super lotados. Essa luta é de todos nós e vai além de partidos políticos, precisamos trabalhar para salvar vidas!” Júnior Borges.

O Hospital de Campanha terá 80 leitos, sendo 50 de UTI e 30 leitos clínicos – todos exclusivos para o tratamento da Covid-19. O número representa 10 leitos a mais do que o hospital abrigou na inauguração. O Estado aguarda a chegada de respiradores enviados pelo Ministério da Saúde à Bahia.  De acordo com o governador, já foi ordenado uma licitação para contratar uma organização que vai gerir o equipamento, publicada no Diário Oficial do Estado.

“Estamos abrindo todos os leitos possíveis, e o número de UTIs ficará maior. E o número de leitos clínicos tem taxa de ocupação menor, e eles servem mais para retaguarda para os leitos de UTI. Quando nós fomos abrir a Fonte Nova, teremos a metade de leito clínico. Essa nova fase está exigindo menos leitos clínicos e mais leitos de UTI”, afirmou o governador.

De acordo com a Secretaria de Saúde do Estado (Sesab), 63 pessoas morreram vítimas de coronavírus nesta segunda. O sistema de saúde sofre a maior pressão desde o início da pandemia, com unidades de saúde públicas e privadas registrando ocupação que ultrapassam os 80%.

A Sesab também registrou hoje, pelo quarto dia consecutivo, o maior número de pacientes internados em UTIs Covid-19 desde o início da pandemia. São 912 pacientes adultos e pediátricos em estado grave ocupando leitos nas diversas regiões da Bahia. O número de mortos na Bahia desde o início da pandemia é de 11.254, representando uma letalidade de 1,72%. 

“Nós queremos ver ao longo da semana esse número decrescer e precisamos da ajuda do povo baiano para que a gente volte o mais rápido possível a poder aglomerar, cantar, brincar, beber, fazer tudo que a gente adora fazer”, disse Rui.

A Bahia teve 1190 leitos de UTI no auge da primeira onda do coronavírus. De acordo com Rui, a ampliação em 90 leitos que será realizada durante a próxima semana vai fazer com que o Estado chegue a 1203. Atualmente, a Bahia dispõe de 1113 leitos. A ocupação é de 80%.

Mesmo com os esforços para abrir mais leitos e impedir que a Bahia registre cenas como as vistas em Manaus, quando o sistema de saúde entrou em colapso, o pedido é de seguir orientações de distanciamento social, ficar em casa o máximo possível e fazer o uso correto de máscara. Caso contrário, a subsecretária de saúde, Tereza Cristina Paim, afirma que será um esforço semelhante a enxugar gelo: e uma hora essa conta não vai fechar.

Fonte: Jornal Correio

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.