Imbassahy quer revisão de processo do TCU que inocentou Dilma

O líder do PSDB na Câmara dos Deputados, Antônio Imbassahy, vai entrar com uma representação junto à Procuradoria-Geral da República solicitando que seja revisto o arquivamento da apuração de supostas irregularidades praticadas pelo Conselho de Administração da Petrobras na compra da refinaria de Pasadena, nos EUA.

O conselho era presidido por Dilma Rousseff à época e aprovou por unanimidade a operação, que acabou gerando um prejuízo estrondoso à Petrobras. Para Imbassahy, o arquivamento foi, no mínimo, precipitado. “A decisão veio antes mesmo da conclusão dos trabalhos das duas comissões parlamentares de inquérito sobre o caso atualmente em andamento no Congresso Nacional. Nas próximas semanas, por exemplo, serão ouvidos em depoimento justamente os diretores da Petrobras na época do negócio que foram responsabilizados pelo TCU. São personalidades que certamente poderão trazer novas informações que podem contradizer a decisão do procurador-geral”, defendeu o tucano.

“Todo esse processo que a Petrobras está atravessando nos últimos anos deixa os brasileiros perplexos e indignados. Não se trata somente de uma operação financeira desastrada, mas de uma estatal brasileira afogada em denúncias com fortes indícios de superfaturamentos e corrupção, como ocorre não apenas em Pasadena, mas nas refinarias de Abreu e Lima, Comperj e quase todas as obras da Petrobras em curso. Esses fatos não podem ser relegados a um segundo plano”, afirmou Imbassahy.

Política Livre

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.