“Muitas mortes poderiam ter sido evitadas se tivéssemos tido uma união nacional”, afirma Mandetta em live

O ex-ministro da Saúde, Henrique Mandetta (DEM-MS) disse ontem, (2/03), que a situação do Brasil em relação à pandemia poderia estar bem melhor se o país tivesse investido na compra de vacinas. Mandetta participou de uma bate-papo no Instagram com presidente do DEM, ACM Neto (BA). O ex-ministro disse ainda que muitas mortes poderiam ter sido evitadas se houvesse no país uma “união nacional” dos governantes para combater a pandemia.

“Cabia ao Governo Federal liderar a situação para que todos os Estados da Federação tivessem um norte só. A união de todos os governantes se faz necessária, nesse momento não deve existir disputa política”, avaliou Júnior Borges.

Na live, ACM Neto começou perguntando ao ex-ministro o que o país poderia ter feito de diferente para combater a pandemia. Neto lembrou que na Bahia, quando ainda estava à frente da prefeitura, as diferenças políticas foram deixadas de lado, se referindo à sua relação com o governador Rui Costa, para combater a covid-19.

“Nesse momento a gente precisa deixar de lado as ideologias. Todos sabem que sou adversário histórico do governador no Estado, mas neste momento a gente não pode estar preocupado com divergências políticas. Fico pensando como seria se o governo tivesse deixado desde o inicio o negacionismo de lado”, frisou ACM Neto.

Segundo Mandetta, a situação seria outra se o governo federal tivesse investido na compra de vacinas e dado sequência às medidas de prevenção como determinava a sua gestão à frente do Ministério da Saúde. “Tivemos chance de comprar as vacinas da Pfizer, da Janssen… Acabamos ficando só com duas. Duas não dariam conta do Brasil. A gente precisaria de um mix de vacinas”, enfatizou Mandetta.

De acordo com ele, o Brasil errou ao investir no “negacionismo”. “Hoje falei com Genebra para saber da Covax. O Brasil podia ter pedido 50% da cota, mas pediu só o mínimo de 10%. Eu perguntei porque os países vizinhos estão recebendo e o Brasil não. E disseram que o Brasil ainda não resolveu a burocracia. Faz 8 meses!”, afirmou.

Mandetta teceu duras críticas à atual gestão e disse que o país está “sem um ministério da Saúde”. “A gente vê as pessoas reclamando com razão que está fechando comércio. A culpa disso é do vírus. E só resolve o vírus com vacina”, declarou. “Governo propôs uma cura equivocada, apostou na falta de controle e não é solidário com as famílias!”, completou.

Ao final da conversa, ACM Neto ressaltou que o país precisa ficar unido neste momento se quiser superar os problemas causados pela pandemia. “É muita dor, muito desemprego. Quantas famílias hoje estão separadas? É uma situação única. Vamos tentar tirar uma lição disso e construir o país do amanhã”, disse ele a Mandetta.

Fonte: Democratas

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.