Oposição consegue assinatura que poderá instaurar CPI da Saúde na Câmara

Depois de travar uma batalha contra a bancada governista na Câmara de Vereadores de Camaçari, o grupo que faz oposição ao governo petista conseguiu a quantidade necessária de assinaturas – 1/3, como manda o Regimento Interno – que garante a instauração da CPI da Saúde, tão temida pelo governo. O requerimento contou com a assinatura de 7 vereadores e foi protocolado no último dia 10 de junho. O vereador João da Galinha, do PRTB, foi o último a assinar o pedido de abertura da CPI.

Com a possível instauração da CPI, a “caixa preta” da saúde ficará exposta e poderá trazer à tona revelações que podem dar o norte aos principais motivos que levam a saúde do município a enfrentar problemas sérios, como o atraso de mais de 3 anos da entrega da UPA da Gleba A, prometida, para dezembro de 2011, ainda na gestão de Luiz Caetano.

Recentemente – na abertura do primeiro período dos trabalhos legislativos na Câmara Municipal – o prefeito Ademar Delgado (PT) garantiu que a mesma UPA seria entregue até o dia 31 de março deste ano, mas, outra vez, o governo “enfiou o pé pelas mãos”, como diz o famoso ditado, e ainda não conseguiu reverter a situação. A estrutura está pronta, mas a UPA vai completar 3 anos aguardando inauguração.

Por conta de situações como a da UPA da Gleba A é que o vereador Júnior Borges considera importante a criação de uma CPI para investigar a saúde do município. “Essa não é uma vontade só dos vereadores, como da população que não aguenta mais enfrentar tanto descaso em um serviço que é tão essencial a qualquer ser humano, mas que aqui é deixado de lado”.

Segundo o vereador Einaldo, líder da oposição na Câmara, a CPI da Saúde servirá para investigar possíveis irregularidades que possam estar prejudicando a prestação do serviço, ao contrário do que diz o governo. “Quando a oposição vai pra cima e luta por melhorias, o governo tenta se defender dizendo que estamos fazendo jogo político, mas a população não cai mais nessa conversa porque sabem o que sofrem todos os dias”.

Assessoria de Comunicação

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.