Oposição vota contra criação de secretaria de 14 milhões

Depois de uma discussão fervorosa no plenário da Câmara de Vereadores na manhã desta terça-feira (6), em torno da votação do projeto de lei do Executivo Municipal que cria uma nova secretaria, a da Ordem Pública, a pasta que custará aos cofres públicos 14 milhões foi aprovada por 8 votos a 6.

O vereador Júnior Borges (DEM) votou contra a criação da nova secretaria e pediu que tanto a bancada do seu partido quanto os outros vereadores da oposição votassem contra o que ele considerou “uma falta de respeito com a população de Camaçari”.

Para o parlamentar, esse não é o momento adequado para enviar um projeto de lei com o aporte financeiro avaliado em 14 milhões. “É um ato irresponsável criar uma secretaria em um momento que a saúde do município passa por tanto problema. Já a segurança não tem tido atenção nenhuma do governo, no mês passado tivemos um grande número de homicídios, mesmo com tanta violência a minha proposta para a criação da Secretaria Municipal de Segurança Pública não foi aceita”.

Sem citar o nome do ex-prefeito Luiz Caetano (PT), Júnior atrelou a criação da nova pasta a interesses pessoais do petista, que é pré-candidato a deputado federal. “Eu sei muito bem a quem interessa a criação dessa secretaria, e vocês também sabem de quem eu estou falando. Em período eleitoral e com uma secretaria na mão fica fácil colocar o pessoal dele aqui e ali”, salientou.

De acordo com Júnior Borges, o governo municipal deixou de criar planos emergenciais para a saúde e segurança da cidade para atender interesses pessoais. “Chega de brincadeira com o povo de Camaçari, as pessoas estão morrendo nas filas dos hospitais e postos de saúde e o governo se preocupando em criar uma secretaria com aporte financeiro de 14 milhões, isso é inadmissível”, relatou.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.