Prefeitos cortam gastos para pagar dívidas de antecessores

Os primeiros quatro meses de gestão dos novos prefeitos baianos foram marcados pela austeridade nas finanças públicas. Pelo menos é isso o que mostram os relatórios de gestão fiscal do primeiro quadrimestre de 2013 – balanço que as prefeituras devem apresentar a cada quatro meses às suas câmaras municipais. A situação dos dez maiores municípios do Estado – cujos balanços foram analisados por A TARDE – reflete um cenário quase unânime de dificuldades enfrentada pelas prefeituras baianas. Além das frustrações de receita com a queda no valor dos repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), as chamadas heranças malditas das gestões anteriores são apontadas como a principal causa para um início de ano com corte de gastos.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.