Representatividade popular como norte do Legislativo em 100 dias de gestão, por JúniorBorges

Há 100 dias, assumi a presidência da Câmara Municipal de Camaçari convicto de que, por meio de uma gestão realmente sintonizada com a realidade da população, seria possível explorar plenamente o potencial do Poder Legislativo enquanto aliado direto da comunidade. Estar mais próximo dos cidadãos sempre foi o nosso objetivo, mas isso não é algo que se conquista apenas externando convites e escancarando portões. Buscamos uma atuação democrática, valorizando o diálogo, sendo sensível aos problemas relatados, exaurindo possibilidades,
exercendo nosso papel enquanto parlamento na formulação das soluções.

Tomamos a iniciativa de promover uma coletiva de imprensa, ainda em janeiro, antes da abertura das atividades plenárias, por entender o importante papel dos veículos de comunicação na sociedade, sobretudo na era das fake news, quando pessoas sem senso de responsabilidade e sem apreço pela verdade, por conta de uma divergência ideológica, disseminam notícias falsas na tentativa de desprestigiar e macular a imagem de alguém ou de alguma instituição. Por isso, exaltar a funcionalidade social da imprensa da nossa cidade figura entre os pilares da nossa política de gestão.

No rol das iniciativas inovadoras que implementamos, destaco também a criação de uma frente parlamentar na região metropolitana, que começou com a convocação dos presidentes de câmaras das cidades circunvizinhas. Tivemos uma reunião produtiva no início de fevereiro, quando pactuamos a continuidade desse estreitamento, fortalecendo o Poder Legislativo de toda a região, de maneira suprapartidária, ampliando nossa capacidade de articulação para
buscar melhorias de interesse comum.

Nossos esforços para criar uma agenda positiva diante da notícia do fechamento da unidade fabril da Ford em Camaçari (e em todo o Brasil) geraram resultados importantes, momento em que nos aproximamos das empresas e incentivamos ampliações e novos investimentos que culminassem na geração de novos postos de trabalho. Ainda nessa vertente econômica, também interagimos com o governo do estado e provocamos uma constante mobilização entre as esferas municipal, estadual e também federal para que as influências dos governos pudessem atuar em defesa dos camaçarienses e amenizar o impacto.

A partir do ponto em que entramos nesta esteira, não paramos mais. Se tomaram constantes os encontros com órgãos diversos, governamentais e não-governamentais, ampliando nossas chances de assertividade através da prática do ouvir e do orientar, do acatar protestos e do ofertar apoio. Em um contexto de crise agravada pela pandemia da Covid-19, assumimos posição no combate à disseminação, por meio da emissão de decretos no Diário Oficial da
Câmara e na realização de desinfecções periódicas nos ambientes internos do prédio do Legislativo. Priorizamos a saúde, sem ignorar os desdobramentos das medidas restritivas para aqueles cidadãos que têm no comércio de produtos e serviços a única fonte de renda.

E no meio desse processo de interação com todas as partes afetadas, notamos que muito do que estávamos realizando, mesmo sendo tão coerente com desígnios essenciais da Casa Legislativa, era inédito. Um dos momentos que ilustram essa percepção foi quando realizamos uma visita institucional à Associação Comercial e Empresarial de Camaçari (ACEC), e os representantes nos revelaram que, em 40 anos de história daquela entidade, aquela era a primeira vez que recebiam a visita de um presidente da Câmara.

Recentemente, a Câmara completou 73 anos, período no qual o parlamento cresceu e se desenvolveu junto com a cidade. E, durante os nossos primeiros 100 dias de gestão, novos progressos estão compondo essa história, inclusive através de implementações tecnológicas. Em fevereiro, realizamos a instalação de um painel eletrônico no Plenário Osvaldo Nogueira. O novo sistema para administração da interface do painel permite, entre outras coisas, o registro
online das atividades legislativas, desde a confirmação de presenças dos vereadores nas sessões até os resultados das apreciações das pautas submetidas à votação.

Muito me alegra perceber que a mudança tem sido notada pela sociedade, que passa a reconhecer, de maneira mais natural, a amplitude das funções do parlamento municipal, transcendendo suas atribuições fiscalizadoras e mediadoras, elevando sua representatividade popular. É apenas o início da jornada para além do condicionado e do tradicional. Ainda há muito a ser feito, e parte disso já está no nosso planejamento, a exemplo do projeto de
acessibilidade que vamos implantar na Câmara. São muitas as ideias que queremos transformar em ações, e todas elas são inspiradas na nossa gente e nos dias melhores que sonhamos para Camaçari.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.