Saúde pública é discutida na Câmara de Vereadores de Camaçari

A saúde pública de Camaçari entrou na pauta da sessão desta quinta-feira (16), na Câmara de Vereadores. Um dos setores mais questionados em termos de eficiência no município foi colocado em questão e possibilitou a eliminação de dúvidas comuns entre a população e também entre vereadores, que têm se mobilizado para buscar melhorias e minimização das dificuldades por quais passa o Sistema Único de Saúde (SUS).

A bancada de oposição ao governo convocou pessoas-chave que cuidam da saúde na cidade para participarem da sessão ordinária. O secretário de Saúde do município, Vital Sampaio, participou do encontro e discursou por cerca 30 minutos sobre as dificuldades enfrentadas pela pasta que administra.

O secretário foi realista quando admitiu que a saúde passa por problemas, mas considerou o problema da saúde pública um caso nacional. “Nós temos uma saúde que tem falhas. Temos uma deficiência com pessoal. A oferta é menor do que as necessidades da população, mas estamos melhorando a cada dia a saúde no município. Essa é uma realidade nacional”, argumentou.

Uma das soluções sugeridas pelo vereador Júnior Borges (DEM) para melhorar o atendimento a população foi a criação de um hospital público municipal, que desafogaria o Hospital Geral de Camaçari (HGC), que atende hoje cerca de 600 mil pessoas entre Camaçari e outras cidades da Região Metropolitana. “Camaçari precisa de um hospital próprio, não tem mais condições de o HGC dar conta de atender uma população de mais de 450 mil pessoas”, disse.

Segundo Vital, um hospital com a estrutura similar a do Hospital Geral do Subúrbio, no Subúrbio Ferroviário d Salvador, será construído na orla de Camaçari para minimizar a deficiência vivida hoje na saúde do município. Júnior Borges questionou o tempo de execução do projeto e destacou a importância de um plano emergencial para a saúde. “Precisamos de um projeto dessa grandeza, mas enquanto isso precisamos solucionar problemas com a marcação de cirurgias e minimização problemas com as grandes filas nas unidades de saúde”, ressaltou.

O vereador Júnior Borges sugeriu ainda a transformação de centros de saúde em centros cirúrgicos. Segundo o secretário, a medida poderia funcionar no caso das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs). “Devido a estrutura necessária para esses tipos de procedimentos, isso só seria possível ser feito nas UPAs, é válido mas deve ser analisado com cuidado”.

Outra providência que diminuiria a crescente demanda do Hospital Geral de Camaçari seria a construção de uma maternidade que, segundo o secretário, já está em processo de reivindicação. “O resultado do processo deve sair em agosto. E em agosto de 2014 já devemos ter uma maternidade no município”, garantiu.

Os vereadores de oposição prometeram cobrar do município as promessas do hospital e da maternidade. “Camaçari já deveria ter um hospital municipal e uma maternidade. O próprio secretário estadual da Saúde, Jorge Solla, disse, em reunião com os vereadores, que o município precisa ajudar o governo do estado construindo um hospital e uma maternidade, e só agora isso está sendo providenciado”, comentou Júnior Borges.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.