Júnior Borges participa de assembleia na Ford e manifesta solidariedade aos trabalhadores

Os desdobramentos do anúncio do fechamento das fábricas da Ford Motor Company no Brasil estão sendo acompanhados de perto pelo presidente da Câmara Municipal de Camaçari, vereador Júnior Borges (DEM). Na manhã desta terça-feira (12/01), o edil participou da assembleia convocada pelo Sindicato dos Metalúrgicos de Camaçari e realizada na entrada da montadora, no Polo Industrial de Camaçari, uma das três unidades que encerram as atividades no país. Preocupados com o futuro incerto, milhares de colaboradores compareceram ao encontro, que também contou com a presença de outras autoridades políticas e órgão de imprensa.

A presença de Júnior Borges na assembleia reforça o seu compromisso em buscar soluções para a redução do impacto econômico e social que o encerramento da atividade fabril da planta de Camaçari representa para a população do município. “A Câmara de Vereadores vem prestar solidariedade aos trabalhadores do Complexo Ford, mas também para se colocar à disposição dos governos municipal e estadual, para que juntos possamos encontrar caminhos para atrair outros investimentos que mantenham a força da nossa indústria”, declarou.

Na ocasião, o vereador também ressaltou a necessidade de diálogo entre a política externa e o governo brasileiro, pelo bem da população do país, da Bahia e de Camaçari. “É preciso, mais do que nunca, que os governos se entendam e procurem meios de reverter essa situação, no sentido de promover a geração de emprego para o nosso povo”, destacou, acrescentando que o impacto do fechamento da Ford na arrecadação do município é considerável e a busca por outras grandes corporações é extremamente importante para a economia local.

De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos, a Ford se mostrou irredutível diante das tentativas de renegociar a manutenção da montadora local, descartando a possibilidade de retroceder da decisão de manter qualquer uma das fábricas em operação no país. O posicionamento da empresa acarreta na demissão direta de cerca de cinco mil trabalhadores em Camaçari, o que pode chegar a 12 mil funcionários que perdem seus empregos, considerando outras empresas cujas atividades estão diretamente ligadas às operações da Ford no Polo Industrial.

Além da unidade de Camaçari, onde a montadora pretende manter apenas o Centro de Desenvolvimento de Produto, a produção também vai cessar nas fábricas de Taubaté (SP) e Horizonte (CE). Ainda conforme o anúncio realizado pela multinacional estadunidense, o Campo de Provas e a sede regional, ambos em São Paulo, também devem ter o funcionamento preservado.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.