Agricultores de Camaçari recebem assistência da Casa de Farinha Móvel

Com o intuito de potencializar a produção agrícola de farinha de mandioca e aipim no município, o projeto Casa de Farinha Móvel já beneficiou mais de 300 famílias da zona rural da cidade. Gerenciado pela Prefeitura de Camaçari, por intermédio da Secretaria do Desenvolvimento da Agricultura e Pesca (Sedap), o equipamento oportuniza a fabricação em localidades de difícil acesso e que não possuem casas de farinha fixas.

“Mais uma ação de extrema importância da Prefeitura Municipal de Camaçari. Dando suporte aos agricultores, que, nesse momento de pandemia precisam ainda mais do cuidado e apoio do governo.” Júnior Borges.

De acordo com o órgão, a produção máxima por dia do equipamento é equivalente a 750 quilos de farinha. O escoamento dos produtos acontece nas feiras itinerantes espalhadas pela sede e costa do município, sendo comercializado de maneira direta, entre fornecedor e consumidor, o que auxilia as comunidades produtoras. Ainda segundo a Sedap, há previsão de que esses produtos façam parte das compras do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), gerando renda para os agricultores.

Ao longo de um ano e sete meses, a unidade móvel já passou pelas comunidades do Assentamento Fidel Castro, Coqueiro de Monte Gordo, Tiririca, Lagoa Seca e região. A projeção é contemplar até o final deste ano as localidades de Conceição de Abrantes, Cancelas, Lodo e Fazenda Cajazeiras. A aquisição do maquinário foi realizada em novembro de 2018, e a oferta de serviços iniciou-se em dezembro do mesmo ano.

Por se tratar de uma produção comunitária, todas as atividades precisaram ser suspensas temporariamente em virtude da pandemia do novo coronavírus. Antes da crise, para obter o recurso era necessário que o responsável pela associação comparecesse até a sede da Sedap, efetuasse um cadastro de solicitação e a entregasse as cópias do RG, CPF e comprovante de residência, além da ata de fundação da entidade.

Cabe ressaltar que, ao transformar a matéria-prima do aipim e mandioca em farinha, o produto tem uma maior durabilidade, podendo agregar valor na venda final. A iniciativa da Casa de Farinha Móvel ainda concede a oportunidade de melhorar a qualidade de vida dos pequenos produtores rurais.

Fonte: ASCOM PMC

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.